Só não muda de idéias
quem não as tem.

domingo, 22 de junho de 2008

xumaxumaxumá.

"Quando todos pensam o mesmo, ninguém está pensando".
Walter Lippmann.

Eu sempre achei que ser normal era bom. Mas quer saber? Eu mudei de idéia. Todos aqueles seus amigos bonitões e suas amigas patricinhas, todos esses grupinhos são ‘normais’ demais para mim. Ao contrário do que muitos vêem, tenho meus amigos, cada um diferente do outro, cada qual a seu modo. E sabe aquela historinha de melhor amigo da 4ª série? Então, ela ficou lá mesmo, pois hoje sinto o maior orgulho em poder dizer que tenho amigos de verdade.
Toda vez que leio um dos meus papéis perdidos, como um daqueles que eu achei outro dia - um papel de halls com uma data ou uma daquelas notinhas fiscais de mercado mesmo - eu percebo o quanto você aprende com o passar do tempo, o quanto aquelas coisas que pareceram idiotas hoje são importantes.
É realmente difícil me surpreender porque eu não espero muito das pessoas e tem funcionado muito agir assim. Sem esperas: sem decepções. Mas sabe o que é realmente engraçado? Eu não espero nada dos outros, mas de mim! Ah coitada da Thais, hahaha. Até hoje tenho colado na porta pelo lado de dentro do meu guarda-roupa uma lista com simples dez ou onze objetivos. Não me pergunte quantos deles eu cumpri, pois até hoje não cumpri nenhum! Para falar a verdade, um só - menos importante.
Outro dia, estava lá eu voltando da casa da minha Avó. Ela mora a uns trinta minutos da minha casa, mas era domingo e sabe como é. Eu havia passado lá, depois do meu grupo de estudos onde as pessoas dormem. Ah, casa de avó é uma delícia! Almocei com ela, tomei um banho (porque até hoje tenho roupas minhas guardadas lá, de reserva) e tirei um cochilo de umas três, quatro horas. Acordei com cara de bolacha, me despedi. Fiquei uns quinze minutos no ponto de ônibus, tava frio nesse dia. Ao menos o microônibus estava vazio, ufa! Ali, enquanto eu espiava uma garotinha amarrando os sapatos, pensei: no que as minhas decisões mudam as coisas? Ou melhor, no que a minha escolha de curso universitário muda a vida de alguém? No papel de bala? Nos meus rabiscos, nas minhas cartas? E quanto as minhas atitudes? E os meus problemas? E minhas vontades? E a minha vida?
E, caramba! Ninguém tem nada a ver com isso! Como é difícil. Eu não sei nada ainda. Não mesmo. Não que eu esteja me referindo à senhora matemática, pois dela eu não entendo mesmo, nem ao meu pobre português, mas ao que a minha existência interfere na vida das pessoas.
O que eu sei é que não gosto da concepção de um ser humano que cresce, estuda, talvez curse uma faculdade, arranja um empreguinho meia boca, compra seu carro popular, daí conhece alguém mais ou menos, logo se casam, ficam endividados pela festa do casamento, daí eles tem um, dois filhos, chegam aos quarenta, lutam pela mísera aposentadoria, ficam velhos e morrem. E nem ao menos passa no noticiário local ou sai no jornal. Quase ninguém fica sabendo que ali havia alguém que deu o sangue para ter uma vida decente, que amou, que criou seus filhos e que um dia existiu.
O difícil mesmo é fazer diferente, ou melhor, o difícil é ser essa diferença. Eu não me preocupo com a palavra FUTURO, porque para mim o futuro é amanhã quando eu acordar às seis e meia da manhã. O meu futuro é a bronca que eu irei levar do meu pai se eu chegar tarde hoje. Eu daqui a dez anos? Prefiro não pensar. Prefiro acreditar que daqui a algum tempo, quando eu não existir mais, eu terei deixado alguma coisa para alguém, nem que seja um gesto ou uma simples e idiota lembrança de alguém que tentou mudar alguma coisa.
Mas por enquanto, eu sei que esse amanhã está longe demais do presente que eu posso ter agora.

Aloha Gueons!

4 comentários:

Renata disse...

pô Thais...num sabiia q vc filosofava tanto O.0"

adoreii*-*

Toni disse...

Ahhh, dessa vez chego a Renata e comento antes de mim, não vale =P


[b](fingi que ta em negrito)
Põ meu, to falando, vc tem vocação pra ser meu clone ;P, acho que a coisa que mais faço quando to em algum lugar sem atividade, como onibus e talz e pensar nessas coisas, coisas tipo, nas minhas atitudes, o que elas influenciaram nos outros, o que elas influenciaram em mim, como seria minha personalidade se eu não tivesse mudado pra cá, no meu carater, no que vai acontecer se eu perder um ano sem faculdade, no que é Deus, se ele existe, sabe, coisas paranoicas do tipo, acho que é por isso que o Toni ta ficando louco ;P
Mas diferentemente de você eu sô maó preocupado com meu futuro, qq eu vo estuda, onde vo morar, e coisas do tipo, a unica coisa que não preocupo é em casar e ter filhos, pq isso não se decide sozinho.

E eu vo para por aqui, porque to falando demais já, e quem fala demais é vc ;P


(brincadeeeeeira)

Xhórts disse...

eu penso na vida antes de dormir oO

e o resto do tempo eu não penso.

;p

Dead cell!

Brubona! =D disse...

eu só tenho uma coisa a dizer:
vamos fazer a progressiva e assim seram 2 coisas feitas da tua lista! ;)

AAAH, você é demais!

opa, foram 2 ... ;p